Como acertar na escolha do brinquedo para cada idade

6 minutos para ler

Quem nunca ficou naquela dúvida cruel de qual brinquedo comprar para presentear uma criança especial? Afinal, são tantas opções existentes que dá até para se perder dentro da loja! Sem contar que a maioria não se parece em nada com aqueles da nossa época de infância! Nesse cenário, acertar no presente se torna uma missão cheia de desafios!

Para ajudar você nessa escolha, preparamos algumas sugestões que seguem a faixa etária. Também conversamos com Patrícia Camargo do portal Tempo Junto. Ela nos trouxe mais ideias relevantes para auxiliar esse momento. Então, vamos à leitura?

O brinquedo ideal para bebês de até 1 ano

Aqui, a criança parece aprender um tanto de coisas a cada dia! Já percebeu? Assim, poder estimulá-la de forma adequada é essencial. Por ela ser muito ligada em seus sentidos (audição, visão e tato, principalmente), os brinquedos precisam suprir esses interesses. Algumas ideias para bebês nessa idade são:

Os brinquedos para crianças de 2 a 3 anos

Nessa fase, começa o grande interesse pelo faz de conta e pela imaginação. Os pequenos também gostam da imitação. Não é raro vermos aquele pinguinho de gente imitando um adulto falando ao telefone, por exemplo, e nos fazendo cair na gargalhada!

Sons também são muito interessantes a eles. Além disso, é hora de começar a estimular a coordenação motora fina (a que usa pequenos músculos e pede delicadeza). Boas ideias são:

Ideias de presentes para os pequenos de 4 a 6 anos

brinquedo

A imaginação continua aqui, sendo sua fase de maior ápice. Continue investindo em brinquedos que estimulem o faz de conta e a criatividade, combinado?

É por volta dessa idade que aumenta o interesse em brincadeiras com os amiguinhos. Então, jogos interativos também são uma boa. Além do mais, é uma boa época para estimular a cognição. Considere essas sugestões:

Os brinquedos para os maiores de 6 anos

A vontade de interagir com os amiguinhos aumenta agora. É um bom momento para apresentar os jogos de regras. Eles fazem a meninada entender a importância de seguir ordens, para que todos usufruam da diversão. Outro ganho é o saber perder, essencial para toda a vida.

Além do mais, com a energia a mil, brincadeiras de bola e na rua são muito bem-vindas! Aposte em:

O que mais levar em consideração na escolha do brinquedo

Bem, falamos da idade até aqui, certo? Ela é realmente relevante, pois é a segurança da meninada em jogo!

Mas Patrícia Camargo nos traz mais ideias! Um dos focos de atenção, segundo ela, é a variedade. “Se existem 12 quebra-cabeças em casa, ainda que de personagens diferentes, você estará proporcionando o mesmo estímulo”. Nesse sentido, tente diversificar. Jogos de tabuleiro, games, jogos da memória, blocos de encaixe: cada um tem seus ganhos.

Considerar as preferências da meninada também é bacana! Mas se ela fizer o pedido de algum brinquedo, verifique a possibilidade de proporcionar ganhos diferentes. Patrícia exemplifica: “a criança pede um carrinho. Você pode dar um de empurrar ou de controle remoto, por exemplo. Em cada escolha, há como oportunizar um aprendizado. É nossa função ampliar esse mundo”.

Além dos gostos individuais, outra dica é avaliar as habilidades. Ao entendermos limites ou aptidões, podemos explorar outras possibilidades. “Aquela indicação da faixa etária tem a ver com uma recomendação dentro das capacidades infantis. Mas se a criança não consegue brincar, não se desenvolverá”, revela Patrícia.

Pensar nas diversões da moda também é uma boa saída! Luccas Neto ou kits de slime, por exemplo, são muito bem recebidos! Só tenha cuidado com os perigos levados para dentro de casa! Verifique o selo do Inmetro sempre, pois é um certificado de qualidade e segurança. Já as peças pequenas devem ser evitadas para os mais novos.

CTA_Importância-do-brincar-na-vida-da-criançaPowered by Rock Convert

Como garantir que a meninada tire o máximo proveito do brinquedo

Patrícia conta que todo brinquedo é um agente de desenvolvimento, quando consegue proporcionar diferentes estímulos. É importante entender isso, pois muitas pessoas têm em mente que só um “brinquedo educativo” ajuda no desenvolvimento.

Na verdade, brinquedos diversos e até uma brincadeira antiga têm a capacidade de ensinar algo. Um carrinho de controle remoto, por exemplo, estimula a imaginação e trabalha a coordenação motora, duas habilidades essenciais para o desenvolvimento sadio. Os tapetes de atividade contribuem para a concentração e o equilíbrio corporal.

Além disso, ao dar o presente, é legal acompanhar como a criança lida com ele, principalmente se dermos um exemplar acima da idade recomendada. “É importante estar junto para acompanhar o processo e conduzir no que for preciso”, diz Patrícia.

Mas independentemente do tipo brinquedo, ela sempre aconselha a interação da família. “Costumamos trazer a criança ao nosso mundo, ao ensinar regras, como horário de dormir e acordar. A brincadeira é território dela. Quando brincamos juntos, colocamo-nos em seu mundo. É no brincar que ela se comunica. Ao estarmos juntos, criamos um vínculo forte. Além disso, ela se sente pertencente ao meio”.

Escolher o brinquedo pela faixa etária é um ótimo começo! Mas não se esqueça de que proporcionar a alegria é essencial! Reúna toda a família no momento das brincadeiras, pois, no fundo, não há idade para brincar, concorda?

Gostou do artigo? Que tal conhecer o site da Ri Happy? Por meio dele, você fazer a escolha de um brinquedo legal, sem nem precisar sair de casa!

Posts relacionados

Deixe um comentário