Como lidar com as mentiras dos filhos?

6 MINUTOS DE LEITURA
2312
Como lidar com as mentiras dos filhos|Desenvolvimento da fala infantil
Mãe conversa com criança sobre mentiras

O adulto que afirmar nunca ter contado uma mentira certamente está mentindo! Muitas vezes, a gente faz isso até em contextos habituais. Por exemplo, quem já não deixou de atender a um telefone e fingiu não vê-lo tocar?

Mas quando a história é com as crianças, a coisa já muda de figura! Bate aquela preocupação e surge um tanto de sentimentos desconfortáveis, não é mesmo? Sendo assim, você sabe como lidar com as mentiras dos filhos? Até que ponto é normal criança contar mentirinhas?

Conversamos com Jang Sin, mentora familiar, que nos ajudou a entender melhor essas situações e deu algumas dicas de como lidar com as mentiras dos filhos. Continue a leitura!

O que leva as crianças a mentirem?

A mentira é um elemento comum em nossas interações sociais — e, muitas vezes, necessária! Por exemplo, imagine você almoçar na casa de alguém e falar que não gostou da comida! Criaria uma situação desconfortável, não é mesmo?

Crianças também têm seus motivos: obter algo favorável ou evitar uma situação negativa. Por volta dos 2 anos de idade, já aprendem pequenos comportamentos: como o de esconder um objeto ou acusar o cachorro por uma traquinagem.

“É um mecanismo de defesa, principalmente se a criança percebe que o ambiente é cheio de autoritarismo e com muitas brigas. Ela mente porque tem medo: da reação dos outros, da punição, de magoar alguém”, esclarece Jang Sin.

Curiosidade

Sabia que crianças autistas costumam ter dificuldade em mentir? Isso acontece porque um dos sintomas do transtorno é um comprometimento nas interações sociais!

Como lidar com as mentiras dos filhos?

Para os especialistas, mentir pode demonstrar um bom desenvolvimento, pois esse comportamento requer um trabalho cognitivo complexo. Por outro lado, é importante ensinar bons valores e evitar que isso se torne um problema. Veja as dicas de como lidar com as mentiras dos filhos!

Evite os confrontos

Não coloque a criança em uma situação que estimule a mentira. Por exemplo, se você sabe que foi ela que quebrou o vaso, não pergunte a ela se fez isso. Ela sentirá medo e, provavelmente, mentirá.

Em vez disso, explique o motivo de não brincar perto de coisas frágeis, pois, ainda que não seja a intenção, ela pode deixar algo quebrar. Peça ajuda para a limpeza, dentro do que ela conseguir fazer.

Procure os motivos para a mentira

Jang Sin explica que há sempre um motivo por trás. Pode ser fugir de um possível castigo ou não ter que fazer o dever de casa, por exemplo.

Pode existir, ainda, muita fantasia. Crianças até os 5 anos têm grande facilidade com a imaginação. Então, acusar o amigo imaginário, por exemplo, nem é considerado mentira. “Elas misturam a fantasia com a realidade e realmente acreditam que a história é verdadeira”, explica Jang Sin.

É legal analisar também se a conduta em casa estimula isso. “Como está sendo a postura dos pais? Existe algo que leve a criança a mentir? É preciso se lembrar de que a mentira é uma forma de ela se defender”, avisa a mãentora familiar.

Depois, ao descobrir os motivos, ajude a criança a encontrar uma saída saudável. Se ela está evitando o dever de matemática, será que ter a sua ajuda para resolver os exercícios pode mudar isso?

Converse e evite a punição

É comum os pais optarem por punições severas (como castigo ou palmadas) como forma de tentar educar. Mas a verdade é que isso não produz o efeito esperado: não ensina que não pode mentir e só incentiva a criança a se aprimorar na mentira, nas próximas vezes.

“A comunicação é a melhor forma. Em vez de começar já repreendendo, é preciso conversar. É preciso entender a criança. Muitas vezes, dá para fazer combinados”, indica Jang Sin. Na conversa, explique que mentir quebra a confiança e pode prejudicar a relação. Fale que, assim, as pessoas ficam muito chateadas, se afastam e tendem a não acreditar mais.

Valorize a honestidade da criança e do adolescente, ainda que tenham feito algo do seu desagrado, como tirado um zero na prova ou faltado aula para ir ao shopping com os amigos.

Ensine por histórias

Leia histórias: elas são ótimas formas de educar. Os pequenos, principalmente, tendem a se identificar com os personagens, a sentir empatia e a entender as consequências. Um dos contos infantis mais conhecidos é Pedro e o Lobo, que narra como o garotinho se deu mal depois de tantas mentiras.

Tenha cuidados com os exemplos

Já ouviu falar na importância do pai, da mãe e dos outros familiares serem coerentes? Todo mundo precisa praticar o que está sendo ensinado. Por isso, se você está se perguntando como lidar com as mentiras dos filhos, procure analisar isso. As crianças aprendem muito por observação e tendem a imitar quem acham ser uma referência.

Abra-se à negociação

Às vezes, crianças e adolescentes aprendem a mentir porque sentem que os adultos não estão dispostos a conversar, a entender o lado deles ou a abrir mão de uma opinião. Por exemplo, por achar que não poderá ir a uma festa, a filha inventa que vai dormir na casa de uma amiga.

Tente ouvir os argumentos e encontrar um meio-termo, algo que agrade um pouco os dois lados. Será que é possível deixá-la sair e combinar que o pai vá buscá-la na festa, em determinado horário?

E a mentira prejudicial?

rihappy rihappybrinquedos image 587

Falamos daquelas pequenas mentiras socialmente aceitas. Mas e quando a mentira é nociva e tem a intenção de prejudicar outra pessoa?

A partir dos 4 ou 5 anos, as crianças já começam a perceber que existe esse tipo de mentira. É importante, então, conversar e mostrar as consequências para ela e para a pessoa prejudicada, trazendo um contexto de empatia.

Se o comportamento é frequente e, principalmente, se a criança é mais velha, próxima aos 10 anos, não custa procurar um especialista infantil, que poderá avaliar o caso de perto e orientar de forma direta.

Uau! Quantas dicas de como lidar com as mentiras dos filhos, não é mesmo? Não esqueça ainda que apostar em uma relação próxima, com vínculo materno e com outros familiares e muitas brincadeiras, também ajuda no desenvolvimento saudável e facilita esse tipo de ensinamento, combinado?

Gostou do texto? Assine nossa newsletter e receba ainda mais dicas de desenvolvimento infantil!

Leia Mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *