Consumo infantil: veja dicas para essa prática ser mais consciente

5 MINUTOS DE LEITURA
2099
mãe ao lado do filho e filha em frente a prateleira com brinquedos representando o consumo infantil

Educar uma criança envolve vários desafios. Um deles é ensinar sobre o que o dinheiro representa e como deve ser a relação com ele ao longo da vida. Afinal, quando o consumo infantil é impulsivo e exagerado, pode influenciar o pequeno a se tornar um adulto com dificuldades financeiras.

Acredite: por mais novas que as crianças sejam, é possível mostrar para elas como usar o dinheiro de forma saudável, consciente e responsável. O melhor é que isso não exige medidas complicadas. Entenda sobre consumismo infantil e como evitá-lo para garantir o desenvolvimento saudável dos pequenos!

O que é o consumo consciente?

Definido como um movimento social, no qual as pessoas refletem sobre os próprios hábitos de compras, o consumo consciente demonstra como as aquisições exageradas interferem no meio ambiente e na vida das pessoas. 

Qual é a diferença entre consumo e consumismo?

Você sabe qual é a diferença entre consumo e consumismo? Enquanto o primeiro representa a aquisição de itens necessários para o dia a dia, o segundo consiste nas compras supérfluas, feitas de forma excessiva.

De acordo com a psicologia, o consumismo infantil gera problemas graves no desenvolvimento, resultando em implicações na alimentação e transtornos psicológicos. Para evitá-lo, é importante atentar-se aos sinais de exagero e buscar estratégias para diminuí-lo.

A educação sobre consumo infantil é tão importante que gera diversos benefícios para a vida adulta, como a organização financeira.

mãe ao lado da filha em sofá conversando sobre consumo infantil

5 dicas para tornar o consumo infantil mais consciente

Para conscientizar as crianças sobre o consumo responsável, o blog Modo Brincar separou 5 dicas. Confira abaixo!

1. Seja um grande exemplo

O primeiro passo é ser um exemplo. As crianças tendem a compreender o mundo por meio da observação, analisando os adultos com quem convivem. Normalmente, elas se espelham em pais, tios, avós e irmãos mais velhos para aprender o certo e o errado. 

Ao servir de exemplo aos pequenos, você demonstra a importância de manter hábitos de consumo saudável, na prática. Para isso, reforce que: 

  • desperdiçar comida não é legal e pode aumentar as despesas de casa; 
  • economizar no consumo de água e energia elétrica é importante para o planeta;
  • comprar algo que apareceu na TV só é interessante quando aquilo é necessário e adequado à idade da criança;
  • reaproveitar é muito bacana e ajuda o orçamento da família.

2. Imponha condições para realizar desejos

Fazer acordos com a criançada é uma boa forma de ensinar como utilizar o dinheiro de maneira consciente. Nesse caso, a ideia é impor algumas condições para os pequenos ganharem aquilo que desejam, como tirar boas notas, fazer as tarefas de casa e manter uma alimentação saudável.

Assim, as crianças entendem que, para terem aquilo que desejam, não basta pedir, mas merecer. Com isso, elas aprendem a dar mais valor àquilo que ganham e criam uma relação equilibrada com o consumo.

3. Saiba dizer “não”

Outra maneira de fazer com que as crianças adotem o consumo sustentável é dizer “não” sempre que for necessário barrar alguma compra supérflua. Nessas situações, explique os motivos para o presente ser negado.

Mesmo que o seu coração fique apertado, especialmente se o objeto de desejo for um brinquedo simples, isso ajuda a criar limites e evidenciar que nem sempre os pedidos são realizados. Durante a conversa, esclareça que o dinheiro deve ser usado com cautela, sendo essencial pensar no futuro.

4. Não associe o lazer à aquisição

Muitas vezes, os adultos associam o lazer à aquisição, principalmente quando o passeio em família acontece no shopping. Isso pode ser um problema para o consumo infantil, já que as crianças aprendem com os atos das pessoas mais velhas que elas. 

Sendo assim, elas podem concluir que a família precisa consumir para se divertir. O ideal é evitar essa associação e afastar essa percepção equivocada. Para isso, é possível transformar os momentos em atividades relacionadas ao bem-estar, como contação de histórias. 

5. Utilize a educação financeira infantil

A partir da educação financeira na infância, é possível ensinar o que é dinheiro e qual é a relevância dele na vida das pessoas.

A educação financeira também incentiva a responsabilidade, podendo auxiliar no controle do consumo infantil, que trazendo benefícios para o desenvolvimento:

  • relação saudável com o dinheiro;
  • compressão da ligação entre o dinheiro e o trabalho; 
  • segurança nas escolhas financeiras no futuro;
  • estreitamento das relações familiares por meio de canal aberto de comunicação para dúvidas. 

Veja mais dicas sobre o mundo infantil no blog Modo Brincar

Gostou do conteúdo e já sabe como tornar o consumo infantil mais consciente? Confira as novidades no blog Modo Brincar e garanta as melhores dicas para sua família!

Fontes consultadas:

SECRETARIA DA CIÊNCIA TECNOLOGIA E INOVAÇÃO (Maranhão). Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão. Consumismo infantil: esse problema é de todos. FAPEMA, [S. l.], 26 mar. 2018. Notícias, p. 1. Disponível em: https://www.fapema.br/consumismo-infantil-esse-problema-e-de-todos/. Acesso em: 23 mar. 2022.

ATIVIDADES #MODOBRINCAR

Se divertir é

UAAAAAU!

Kaboom

Leia Mais

iupii

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *