Conheça todos os segredos do desenvolvimento do bebê

17 MINUTOS DE LEITURA
3179
desenvolvimento do bebê||
||

Parece até que foi ontem! Você descobria um neném a caminho, depois preparava todo o enxoval, lidava com os efeitos da gestação e, no intervalo de tudo, sonhava com o futuro que estava por vir. Agora, os anseios são outros e o bem-estar e o desenvolvimento do bebê entram nessa lista.

Em relação a isso, é importante entender que cada criança se desenvolve de uma forma, portanto, nem sempre vale a pena fazer comparações. Ao mesmo tempo, existem alguns marcos esperados para cada fase e eles indicam que tudo está indo bem.

Aqui, vamos conversar sobre esses principais aspectos, além de dar dicas bem legais, que ajudarão a propiciar um crescimento ainda mais saudável. Vamos começar?

Como acontece o desenvolvimento do bebê mês a mês?

O primeiro ano de vida da criança é um dos mais importantes, pois o cérebro dela se transforma a todo vapor. Diariamente, ela adquire novos conhecimentos e descobre o mundo ao redor. Veja agora o que, normalmente, acontece de mais interessante em cada mês!

1º mês

As primeiras semanas de vida do bebê são marcadas por muitas novidades para todos. Nós, por exemplo, aprendemos a lidar com os choros e as mamadas nas madrugadas. Ele, por sua vez, ainda está se adaptando à nova realidade fora da barriga.

Nesse primeiro mês, os bebês costumam dormir quase o dia todo, acordando apenas quando algo incomoda — fome, cólicas e fralda suja são os principais motivos. Nessa fase, o choro é a única forma de expressão, por isso é importante atendê-lo sempre que se manifestar.

Além disso, o recém-nascido ainda não tem um bom controle muscular. Muitas vezes, ele demonstra movimentos interessantes, mas, por enquanto, são apenas reflexos. Veja alguns exemplos:

  • a sucção, quando os lábios são estimulados;
  • a preensão palmar e plantar, em que ele flexiona os dedos quando algo toca sua palma da mão ou a sola do pé;
  • a marcha reflexa, que é como se o bebê estivesse caminhando — um movimento desencadeado quando ele é colocado na posição vertical, com um apoio embaixo.

2º mês

Agora, o bebê e os papais já estão mais ambientados. E um dos marcos principais no segundo mês é o sorriso social. É aquele sorriso gostoso que ele dá quando interagem com ele, sabe?

Aos poucos, o bebê também ganha firmeza nos músculos. Um exemplo é o do pescoço, que o ajuda a levantar o queixo. À medida que ele aparenta ficar mais forte e esses pequenos ganhos aparecem, aqueles reflexos primários vão se inibindo.

No primeiro mês, a visão do recém-nascido ainda não é bem definida. Agora, suas retinas estão mais constituídas, então, ele consegue fixar o olhar e acompanhar objetos e pessoas. Outro ganho é já reconhecer seus principais cuidadores, como a mamãe e o papai.

Outra coisa superimportante, que vale por toda a infância, são as vacinas! Elas precisam ser ministradas na época certa, pois a imunização também influencia no bom desenvolvimento do bebê.

3º mês

No terceiro mês, a criança já está mais espertinha. Você perceberá que ela demonstra mais agitação, mexendo pernas e braços. Sendo assim, fica um aviso: todo cuidado é pouco quando for trocar as fraldas. Uma rápida virada sua é suficiente para que o bebê se jogue ao chão.

Pequenos balbucios são esperados, mas sem tanta ansiedade, viu? O bebê responde com sons e entonação, se alguém conversar com ele, mas ainda está um pouco longe de aprender as primeiras palavras. No entanto, não podemos negar, é a coisa mais fofa!

Outro detalhe é que a boca dele é a principal forma de conhecer o mundo. Por isso, tudo que está à sua vista vai para os lábios — inclusive o próprio pé, com toda aquela flexibilidade de dar inveja.

E os pais que passaram os dois primeiros meses acordados de madrugada podem comemorar. Nesse período, o sono da criança começa a se regularizar de acordo com a rotina da família. Mas ela ainda dorme muito: cerca de 15 horas por dia, divididas entre a noite e as sonecas no meio da manhã e da tarde.

4º mês

O bebê começa a demonstrar mais interesse pelas pessoas e pelos objetos. Mais atento a tudo ao seu redor, gosta até de brincar com as próprias mãos e com o móbile do berço.

Sua musculatura ganhou um pouco mais de força. Ao ser colocado de bruços, ele consegue levantar o pescoço e os ombros. Também pode se apoiar nos próprios cotovelos.

Com mais personalidade, ele passa a demonstrar preferência pelos seus brinquedos. E, por falar, nisso, todos os momentos podem virar diversão. A hora do banho é uma das preferidas!

Os balbucios, aqui, já estão mais evoluídos. Podemos notar sílabas e vogais, mas ainda não as palavras. Pequenos gritinhos também são comuns, principalmente quando ele tenta expressar alguma emoção.

5º mês

Lá pelo quinto mês, o bebê já ajustou um pouco mais o seu relógio biológico. Muitos conseguem dormir cerca de 7 ou 8 horas ininterruptas de noite — o que é motivo de festa para os adultos, já que as olheiras e aquele cansaço diminuem.

Mais ativo dentro do berço, ele se mexe muito, rola de um lado para o outro e se apoia nas mãos. Quando vê alguém conversando, pode interromper o diálogo e começar a balbuciar.

A amamentação é recomendada, ao menos, até os 6 meses. Contudo, alguns pediatras podem introduzir um suco natural já nessa idade. É o começo da introdução alimentar e ela deve ser seguida sempre com paciência e com as recomendações do especialista que acompanha o desenvolvimento do bebê mês a mês, combinado?

6º mês

Um pouco mais forte, a criança já consegue ficar sentada, se tiver um apoio. A linguagem está mais desenvolvida e novas consoantes podem surgir em suas tentativas de fala, como Z, F e T.

Uma dica: converse com o bebê usando ao máximo as palavras normais do vocabulário, sem muitos diminutivos e outras firulas, combinado? Assim, ele começa a assimilar o jeito correto e não terá dificuldades com a língua nos primeiros anos de vida.

Outro aspecto bacana dessa fase é que o bebê já demonstra curiosidade ao ver o próprio reflexo no espelho. Mas, embora ele fique atento e tenha interesse, ainda não sabe que está olhando para si mesmo.

Por falar em atenção, sua capacidade de concentração está maior. Então, ele consegue ficar vários minutos brincando com o mesmo objeto. Se for algo chamativo, com cores, luzes e sons, melhor ainda.

Falando em diversão, nessa etapa ele ama a brincadeira de esconder o rostinho com uma toalha e pode soltar várias risadas fazendo isso. Portanto, não deixe de estimulá-lo!

No sexto mês, inclusive, a coordenação motora está mais desenvolvida. A criança já consegue segurar e soltar objetos, o que se torna outra oportunidade de interação.

O primeiro dentinho, que é o incisivo inferior, pode surgir aqui, causando certo incômodo. Se notar que ele parece querer morder tudo o que encontra pela frente, é um sinal de que está na hora de investir em um mordedor apropriado.

7º mês

Pelo sétimo mês, a criança começa a se desenvolver no aspecto social. Ela demonstra gostar de colos e até expressa preferência por um ou outro. Dependendo da personalidade dela, pode ficar tímida ou se sentir receosa perto de estranhos.

É uma fase de, literalmente, muitas emoções para o bebê. Em um momento, ele sente alegria, mas, minutos depois, pode chorar, caso se sinta frustrado por algo.

A curiosidade dele sobre o ambiente e sobre si também aumenta aos poucos. Agora, ele começa a descobrir suas orelhas, seu nariz e seu cabelo, podendo passar vários minutos entretido nessa brincadeira.

A maioria ainda não sabe engatinhar, mas é a partir dessa época que o bebê começa a adquirir habilidades que o ajudarão a estar pronto para isso. Ele ganha mais força nas pernas e nos braços e pode começar a se arrastar em direção a algum objeto.

Nesse período, a área do cérebro responsável pela memória se desenvolve. Então, isso significa que o bebê terá mais facilidade para se lembrar de coisas do dia a dia.

8º mês

A vida do bebê no oitavo mês já está mais ativa. Muitos, agora, aprendem a engatinhar, então, divertem-se passeando de um lado a outro da casa.

Apesar de ser encantador observar esse crescimento, todo cuidado é pouco! Se o ambiente ainda não está adaptado com as devidas proteções — escada, tomadas, gavetas, janela, piscina etc. —, é hora de tomar providências.

Outra atividade que a criança gosta é tentar ficar de pé. Muitas costumam fazer isso em silêncio e os pais tomam um susto quando vão pegá-las no berço.

Esses oito meses normalmente são tão intensos ao bebê, que existe até uma crise nessa idade — a chamada angústia da separação. Ele percebe que sua mãe, sua grande referência, não está o tempo todo ao seu lado. Então, nos momentos em que ela se ausenta, ele entra em grande desespero e chora bastante.

Pais, avós ou babás precisam ter mais paciência ao tomar conta dele. Essa crise também pode afetar o sono da noite, fazendo com que seu filho acorde diversas vezes na madrugada.

9º mês

Agora, a coordenação motora está mais acelerada, o que permite ao neném comer sozinho. Claro que há bagunça na mesa — com muita sujeira no rosto e na roupa —, mas ele precisa desse treino para aprender a se alimentar sem o suporte de alguém.

Falando ainda em desenvolvimento motor, por aqui ele também:

  • aprende a apontar para os brinquedos que deseja;
  • consegue segurar as coisas com as duas mãos;
  • sabe fazer o movimento de pinça com os dedos;
  • aprende a bater palmas.

Outro aprendizado é falar “mamãe” e “papai”, deixando os adultos ainda mais babões. Nessa fase, é comum ele apresentar alguns medos, como o de altura e o de objetos que fazer muito barulho.

10º mês

No décimo mês, o bebê já está mais esperto: se algum objeto cai atrás do sofá, ele sabe que é ali que deve procurá-lo. Também se senta e se levanta sozinho e consegue dar alguns passinhos, se estiver se apoiando em algo.

Algumas crianças, nesse período, começam a demonstrar ciúmes. Se a mãe ou o pai pegam outro bebê no colo, elas choram. É um pouco de insegurança, mas é normal e faz parte do desenvolvimento do bebê.

A fala também evolui um pouco. Agora, os bebês parecem querer se comunicar bastante. Novas palavras podem surgir em seu vocabulário, entretanto, ainda não são suficientes para eles se expressarem.

11º mês

A personalidade do bebê fica mais evidente no décimo primeiro mês. Agora, inclusive, já conseguimos perceber se ele tem uma tendência à introversão ou à extroversão.

Apesar de ainda não conversar, ele já entende muitas expressões. Aponta para a mãe, quando alguém pergunta “cadê a mamãe?”, por exemplo, e sabe o significado da palavra “não”. Também reconhece alguns termos, como “cachorro”, “gato” e “avião”.

A criança nessa fase ainda não sabe pintar, mas adora rabiscar revistas e papéis. Se der a ela um giz de cera, demonstrará grande diversão.

Outro feito da idade é que o bebê já consegue tirar os sapatos. Sendo assim, cuidado com os passeios, pois vocês podem perder o calçado pelo caminho.

Bem arteiro e ativo, o pequeno está cada vez mais próximo de andar sozinho. Engatinha rápido, já sabe se equilibrar de pé e consegue pular, com a ajuda de um adulto. Outra novidade é que demonstra preferência por alimentos e, alguns, até por músicas.

12º mês

O desenvolvimento do bebê no décimo segundo mês parece dar uma acelerada. De uma hora para outra, ele demonstra comportamentos e habilidades que até então não tinha.

Quer alguns exemplos? Muitos já andam sozinhos, falam algumas palavras e têm a alimentação bem parecida com a de um adulto saudável.

Geralmente, eles também começam a adotar uma espécie de ritual do sono. Dar aquele banho morno, contar uma história antes de dormir ou colocar uma música instrumental são atitudes positivas para que peguem no sono e durmam a noite toda.

Perto de completar 1 ano de idade, o bebê já é mais independente e costuma ficar bem na companhia de outros adultos — para a alegria dos avós.

Quando está feliz, gosta de demonstrar isso com várias gargalhadas. A personalidade fica mais transparente do que nos meses anteriores e ele já manifesta sinais como calma, impaciência, sensibilidade e persistência.

O que fazer para o bebê ter um bom desenvolvimento?

Ufa! Quanta coisa acontece no desenvolvimento do bebê mês a mês, não é mesmo? Mas agora vem um toque importante: sabia que todos esses ganhos dependem, também, do ambiente?

A construção da personalidade e o passar dos meses contam no crescimento da criança. A forma como a estimulamos, no entanto, é primordial para que ela tenha um desenvolvimento saudável.

O melhor de tudo é que as atividades são simples e possíveis de serem praticadas no dia a dia. Dê uma olhada nas sugestões!

Interaja bastante com o bebê

No passado, era dito que dar muita atenção ao bebê o deixaria mimado. Só que hoje a ciência e muitos psicólogos entendem que a segurança propiciada pelo amor e pela atenção é fundamental no desenvolvimento efetivo.

Portanto, interaja o máximo que puder. Não tenha receio de dar colo, pois isso é uma forma de demonstrar carinho e fazer com que seu filho cresça se sentindo mais seguro.

Ao trocar fraldas, mudar a roupa e dar comida, converse bastante — narre o que estão fazendo e nomeie objetos simples. Quando perceber melhoria na coordenação motora, estimule-o a dar tchau e a bater palmas.

Amamente olhando nos olhos

Amamentar é muito mais que alimentar. É um momento rico de interação do bebê com a mãe e é a partir daí que começa a crescer o vínculo materno.

O contato visual nesse momento ajuda a estabelecer essa conexão emocional e desempenha um papel importante na forma como a criança interpretará o mundo.

A dica é ajeitar bem o bebê nos braços a fim de que a posição facilite o olho no olho. Você também pode fazer isso, caso use a mamadeira.

Estimule a criança com brinquedos

Brinquedos são ótimas formas de ajudar a estimular o desenvolvimento do bebê mês a mês, já que ensinam de forma lúdica. A dica aqui é entender quais são os mais apropriados a cada época.

Nas primeiras semanas, o recém-nascido não costuma se interessar muito por eles. É lá pelo final do segundo mês que começa a demonstrar mais curiosidade. O móbile é um dos principais estímulos nessa época, pois as cores, o movimento e os sons costumam encantá-lo.

O chocalho é uma boa alternativa no quarto mês. O brinquedo sonoro desperta a atenção, além de despertar percepções auditivas e rítmicas.

Entre o quarto e o sexto mês há muitos ganhos na força muscular. Logo, o chão é um ótimo lugar para brincar, desde que exista um espaço específico para a criança. Tapetes de EVA ajudam a deixar o assoalho macio e evitam machucados, caso ocorram tombos. Você pode espalhar alguns brinquedos de pano e livros de tecido. Com certeza, ela vai adorar!

Por volta do oitavo mês, como a coordenação motora já melhorou, é possível incitar estímulos que envolvam essa cognição. Aqueles brinquedos de empilhar são ótimas opções, pois, além de serem bastante divertidos, incentivam a inteligência espacial e lógica.

Nos últimos meses que antecedem o primeiro aniversário, o bebê dá indícios de querer aprender a andar. Muitos já conseguem ficar em pé, então, o ideal são brinquedos que promovam o desenvolvimento físico.

Quando perceber que a criança já consegue firmar as pernas, os andadores e primeiros passos podem ajudar. Nessa fase, os instrumentos musicais também são bons investimentos.

Propicie pequenos desafios

Você pode colaborar com o desenvolvimento do seu bebê ao criar pequenos desafios. Lá pelo segundo mês, já dá para deixá-lo um tempo de bruços, por exemplo. É uma atividade que o estimula a levantar a cabeça — e isso ajuda a fortalecer os músculos do pescoço e das costas.

Muitas crianças demonstram desconforto com isso, então, é importante ficar sempre de olho e ajudar em algo, se necessário. Deixar brinquedos coloridos e chamativos ao redor é uma forma de facilitar essa atividade.

Outro desafio interessante pode ser feito quando o bebê já estiver engatinhando. Chame a atenção dele com brinquedos que ele gosta e os coloque a uma certa distância, para que ele possa pegá-los.

Use música

A música é outra ótima ideia de estimular o desenvolvimento do bebê e podemos fazer isso cantando, tocando ou colocando canções. Elas ajudam na formação de ritmo, na comunicação, na atenção e nas emoções.

As músicas clássicas instrumentais, ainda contribuem com a regulação do humor, pois incitam as atividades cerebrais que liberam endorfina e reduzem o estresse.

Bebês que conseguem ficar em pé também podem ser estimulados a dançar com a música. Isso ajuda na coordenação motora e na socialização.

Como saber que está tudo certo com o desenvolvimento do bebê?

Por mais que a gente cuide de todos os detalhes do desenvolvimento do bebê, às vezes bate aquela insegurança — será que está indo tudo bem? Será que se demorar um pouco mais é normal?

Calma! Muitas vezes, a ansiedade dos pais leva a enxergar problemas que não existem. Por isso, aqui vai mais uma forma de você se certificar de que está tudo certo.

Nem todas as crianças ganham as mesmas habilidades na mesma época. Algumas têm mais facilidade com a comunicação, mas se atrasam em andar. Outras adquirem rapidamente a coordenação motora, mas demoram a dar as primeiras palavras.

De qualquer forma, observar que o seu bebê está ganhando aptidões e que consegue melhorar outras é um indício de que tudo está ocorrendo de maneira saudável.

Por outro lado, a criança precisa apresentar novos movimentos com o tempo. Se, aos dois meses, ela consegue sustentar a cabeça, então, aos quatro meses, precisa ir além disso. Talvez ela desenvolva mais força no tronco, por exemplo, para que realize outros comportamentos.

Como você viu, há um grande desenvolvimento do bebê mês a mês. Nós, adultos, podemos contribuir bastante nesse aspecto, ao propiciar um ambiente adequado, com brincadeiras e estímulos ricos. Por isso, a dica é investir no crescimento saudável da sua criança e acompanhar de perto todas as mudanças. E, caso tenha dúvidas específicas, não deixe de conversar com o pediatra, combinado?

Gostou de ficar por dentro das principais mudanças no desenvolvimento do bebê? Agora, compartilhe este post em suas redes sociais para que outras famílias também tenham acesso a estas informações!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia Mais

brincadeiras legais|brincadeiras legais
29969

10 brincadeiras legais para fazer em casa

Imagem de duas mulheres e uma criança jogando videogames
0

Confira uma lista com 8 dos melhores jogos para PS4

Imagem de duas crianças jogando xadrez
1326

Jogo de xadrez para crianças: conheça os benefícios e como incentivar os pequenos a jogar 

três crianças sentadas no chão da sala segurando controle jogando os melhor jogos do xbox one
0

Confira uma lista com os 6 melhores jogos do Xbox One

lenda do saci|lenda do saci
3165

Conheça a lenda do Saci e o que as crianças podem aprender com ela

pai e filho jogando bola em quadra representando os jogos para pai e filho
0

Jogos para pai e filho: 8 brincadeiras para se divertir!