Novembro roxo: conheça o mês da prematuridade

7 MINUTOS DE LEITURA
1732
Imagem de um bebê recém-nascido deitado
Bebê prematuro recebe atendimento médico

Você já ouviu falar na campanha Novembro Roxo? Ela trata de um assunto muito importante no cuidado com a criançada: a prematuridade dos bebês. Para ajudar você a entender melhor sobre a data e os cuidados com crianças prematuras, conversamos com Flavia Santos, enfermeira neonatologista, e Ana Carolline Pessoa Feitosa, mãe da Maria Antonella, que nasceu prematura. Confira!

O que é Novembro Roxo?

O mês roxo, ou Novembro Roxo, tem o objetivo de conscientizar os papais e os familiares sobre a prematuridade dos bebês. Isso é feito por meio de palestras, debates, troca de informações e experiências. A escolha do mês leva em consideração o Dia Mundial da Prematuridade, celebrado em 17 de novembro.

Segundo o Sistema de Informações Sobre Nascidos Vivos (Sinasc) e o Ministério da Saúde, os bebês prematuros correspondem a 12,4% das crianças que nascem vivas no Brasil. Para você ter uma ideia da dimensão desse número, a Aliança Nacional para o Parto Seguro e Respeitoso divulgou que o país teve 300 mil partos prematuros em 2019.

É ideal manter um diálogo aberto para saber os principais cuidados com a mamãe e o bebê que nasce antes. “Ao falar da prematuridade, preparamos as famílias para as especificidades desses bebês e trazemos esperança para a sobrevida desses pequenos guerreiros”, diz Flavia.

Importância do Novembro Roxo

Ana Carolline, de 27 anos, teve uma bebezinha prematura. “O Novembro Roxo prepara as mães para entenderem e conseguirem lidar com as situações que podem acontecer caso entrem em um trabalho de parto prematuro. É preciso destacar que a prematuridade não significa a morte do bebê — na maioria das vezes, ela é só um obstáculo”, comenta.

O mês da prematuridade, novembro, também serve para conscientizar a família e os amigos que formam a rede de apoio dos pais, algo essencial nesse momento. Ana confirma isso: “sabia da dificuldade que era cuidar de mim em um quarto no qual eu não podia levantar para nada. Minha família ficava comigo o tempo todo, até para evitar uma depressão. Eles foram meu alicerce”.

Prematuridade: o que é e quais são as causas

Agora que você já sabe que novembro é o mês da prematuridade, está na hora de conhecer mais sobre ela. Segundo Flavia, o bebê é considerado prematuro quando nasce antes de 37 semanas de gestação. Levando em consideração que, mesmo no tempo normal, a imunidade não está formada, imagine no caso de um prematuro.

A enfermeira completa e diz que “ao nascer antes do tempo, o bebê não está completamente formado. Então, esse término de maturidade é extrauterina. A criança deve ter um acompanhamento multiprofissional”. Existem níveis de prematuridade. São eles:

  • extremamente prematuro: menos de 28 semanas de gestação;
  • muito prematuro: de 28 a 32 semanas de gestação;
  • prematuro moderado a tardio: de 32 a 37 semanas de gestação.

Por qual motivo os bebês nascem antes do tempo? Flavia explica: “as causas mais comuns de prematuridade são: hipertensão arterial gestacional, infecção urinária, placenta prévia e corioamionite”. O corpo da mamãe dá alguns sinais de que isso possa estar acontecendo:

  • sangramento;
  • restrição de crescimento intrauterino;
  • trabalho de parto prematuro, como no caso da incompetência istmo cervical.

Esse foi o caso da Ana Carolline na gravidez da filha Maria Antonella. “Eu descobri que minha pequena poderia vir prematura por conta da gravidez anterior — perdi um menino com 6 meses de gravidez, pois eu possuía incompetência do istmo cervical IIC”.

Imagem de um bebê deitado

A gravidez de Ana Carolline

Ana Carolline relata que, aos quatro meses de gestação, já percebeu que teria que se cuidar. “Corri pra fazer todos os exames. Os médicos já avaliaram a necessidade de cirurgia para cerclagem (uma espécie de costura no útero para suportar o peso do feto durante a gestação) e não correr o risco de uma nova perda”, revela.

A mamãe ainda teve diabetes gestacional e foi orientada a ficar em repouso absoluto. “Só levantava para ir ao banheiro, pois, mesmo tendo feito a cerclagem e controlando a diabetes, o colo do útero continuava a diminuir, indicando um parto prematuro”, relembra a mãe de Maria Antonella.

O parto

Mesmo com todos esses cuidados, a pequena veio ao mundo antes da hora. “Quando completei 28 semanas de gestação, a bolsa estourou, então fiquei com a bolsa rota durante uma semana internada na maternidade, usando medicações e antibióticos para não criar infecção e sustentar o máximo possível a bebê no útero”, conta Ana.

Ela ainda completa: “no fim daquela semana, em uma quinta-feira à noite, dia 28 de maio de 2020, a Maria nasceu. Foi um parto vaginal, acompanhado por minha ginecologista-obstetra e uma pediatra de UTI, pois não sabíamos como Antonella viria ao mundo. Para nossa surpresa, ela nasceu bem, chorando, respirando e saudável!”.

A mamãe recebeu alta dois dias depois, mas a neném ficou mais 45 dias na UTI. Ela precisava maturar o cérebro e os pulmões. “Eu a visitava todos os dias e, em uma dessas vezes, eu a encontrei entubada. Cheguei a pensar que não ia conseguir levar minha filha para casa, mas ela evoluiu bem”, relembra Ana.

Os desafios e os cuidados com um bebê prematuro

Como você pode ver, o Novembro Roxo chega para conscientizar as pessoas sobre a prematuridade. O período pós-gestação é um desafio para as puérperas, principalmente no caso de bebês prematuros. Por conta da formação incompleta, os nenéns precisam passar um tempo na UTI. A duração depende da severidade do caso.

Ana relata: “cuidar da minha filha foi um desafio, principalmente na alimentação. Como ela engasgava demais, tive que contratar as técnicas, que cuidaram dela na UTI por cerca de uma semana. Só me sentia segura com as técnicas ao meu lado”. Hoje, mamãe e neném esbanjam saúde!

Não existe maneira de prevenir a prematuridade. A única coisa que ajuda nesses casos é um pré-natal de qualidade. No pós-parto, além do apoio profissional, alguns cuidados em casa podem fazer a diferença:

  • fazer o aleitamento materno;
  • evitar contato com muitas pessoas;
  • trocar fraldas constantemente;
  • lavar as mãos antes de mexer no neném;
  • manter a vacinação em dia.

Viu só? O Novembro Roxo, mês da prematuridade, é muito importante para os bebês. Acesse o blog Modo Brincar e confira outros conteúdos bacanas sobre a gravidez e os cuidados com os recém-nascidos.

Fontes consultadas:

AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR (Governo do Brasil). ANS alerta gestantes para o Dia Mundial da Prematuridade. Disponível em: https://www.gov.br/ans/pt-br/assuntos/noticias/beneficiario/ans-alerta-gestantes-para-o-dia-mundial-da-prematuridade. Acesso em: 26 de outubro de 2022.

ALIANÇA NACIONAL PARA O PARTO SEGURO E RESPEITOSO. Aja agora por um parto seguro e respeitoso. Disponível em: https://aliancapartoseguro.org.br/. Acesso em 26 de outubro de 2022.

UNIMED. Bebê prematuro: desenvolvimento e cuidados. Disponível em: https://www.unimed.coop.br/viver-bem/pais-e-filhos/bebe-prematuro-desenvolvimento-e-cuidados#N%C3%ADveis%20de%20prematuridade. Acesso em: 26 de outubro de 2022.

ATIVIDADES #MODOBRINCAR

Se divertir é

UAAAAAU!

Kaboom

Leia Mais

iupii

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *