5 sinais do trabalho de parto

6 MINUTOS DE LEITURA
1481
Imagem de uma mulher grávida sentada em um sofá.

Todos nós temos uma noção do que é um trabalho de parto, certo? Mas para quem está no final do processo gestacional é importante saber identificar as manifestações que indicam que o bebê está chegando.

Neste artigo, você poderá tirar suas dúvidas e aprender a reconhecer os sinais do trabalho de parto e como se preparar melhor para ele. Boa leitura!

Qual é a importância do trabalho de parto?

O trabalho de parto não é apenas um aspecto físico da gestação. Ele faz parte de um processo muito mais complexo, em que há liberação de substâncias que auxiliam no amadurecimento final do organismo do bebê. Um exemplo é o hormônio corticoide, que atua sobre o sistema respiratório da criança.

Ele também estimula o corpo da mãe a liberar outros hormônios importantes para a chegada do recém-nascido e que estão relacionados com o pós-parto e a amamentação, como a ocitocina.

Quais são os sinais de trabalho de parto?

É importante lembrar que há fases no parto normal, que elas podem ser diferentes de uma gestante para outra e que não existe uma sequência exata para que os sinais ocorram. De qualquer forma, alguns deles são comuns à maioria das mulheres. Conheça os principais e saiba como reconhecê-los.

1. Contrações ritmadas

As contrações são comuns durante quase toda gestação — as chamadas contrações de treinamento — e costumam se intensificar nos últimos 2 meses, pois essa é a maneira do corpo se preparar para o momento da chegada do bebê.

Contudo, as contrações que fazem parte do trabalho de parto são mais intensas e sua frequência aumenta durante o processo, que pode demorar de 6 a 18 horas. Elas podem começar como uma sensação de dor de barriga, que pode ou não vir acompanhada de diarreia. O intervalo entre elas diminui e a intensidade aumenta.

Se não houver ruptura da bolsa, a recomendação é ir para a maternidade quando o tempo entre uma contração e outra estiver por volta de 5 minutos.

2. Perda do tampão mucoso

O nome soa meio estranho, não é mesmo? Mas o tampão mucoso é apenas uma estrutura gelatinosa que se forma no início da gestação, no acesso ao útero. Sua função é proteger o ambiente e evitar infecções que poderiam ser causadas pela entrada de micro-organismos.

O início das contrações uterinas pode desprender essa secreção, que é expelida pela vagina alguns dias antes ou apenas nas horas que antecedem o trabalho de parto. Ela tem uma aparência gelatinosa, que pode ser transparente, de cor rosada, amarelada ou até mesmo marrom.

3. Dilatação do colo do útero

Com o avanço da gestação e a proximidade do momento do nascimento — por volta da 37ª a 42ª semana —, o colo do útero começa a amolecer e dilatar. Essa abertura aumenta progressivamente à medida que o trabalho de parto evolui, e precisa chegar a 10cm para que o bebê consiga passar.

Só é possível medir a dilatação por meio do exame do toque, que deve ser realizado por um profissional adequado. A falta de dilatação pode levar à necessidade da realização de uma cesárea.

4. Rompimento da bolsa

Quando a bolsa se rompe, o líquido amniótico escorre pela vagina. Ele costuma ser incolor, tem um odor semelhante à água sanitária e pode sair de uma vez ou aos poucos. Se a coloração estiver escura ou o odor for desagradável, característico de uma infecção, recomenda-se ir imediatamente para o hospital.

É importante lembrar que nem sempre o rompimento está associado às contrações, ou seja, pode ser que a bolsa se rompa antes do início do trabalho de parto em si. Também pode acontecer de ela se romper somente no momento do nascimento.

5. Dor

Além do desconforto relacionado às contrações, pode acontecer da mulher sentir dores parecidas com cólicas na região pélvica, abdômen, costas, quadril, glúteos, coxas e virilha, dias antes do início do trabalho de parto. Isso por causa do encaixe do bebê na região e do processo de dilatação.

Como se preparar para esse momento?

O terceiro trimestre é a reta final dessa jornada intensa, e a expectativa pelo nascimento do bebê aumenta. Além disso, a barriga fica mais pesada, o cansaço se intensifica, as noites de sono se tornam mais agitadas, isso sem falar das constantes idas ao banheiro, pois a bexiga já não tem mais espaço para reter a urina por muito tempo.

Mas tudo isso faz parte, e o melhor, é possível preparar-se desde o início da gravidez para que o trabalho de parto ocorra de forma tranquila, tanto para a mamãe quanto para o bebê. Confira algumas dicas.

Fazer exercícios para fortalecer o assoalho pélvico

Não é preciso se tornar uma atleta, porém, é recomendado manter-se ativa durante a gravidez e focar em exercícios que ajudem a preparar o corpo para o trabalho de parto. Yoga e pilates são excelentes para isso.

Ter uma boa rotina de descanso

Apesar de ser mais difícil dormir com o barrigão e os movimentos do bebê, procure estabelecer períodos de descanso ao longo do dia, o que pode incluir até uma soneca depois do almoço.

Manter uma alimentação saudável

Comer alimentos pouco processados e saudáveis é excelente em qualquer etapa da vida, e não seria diferente com a alimentação na gravidez. Segundo o médico alemão ginecologista e obstetra Frank Lowen, o alto consumo de açúcar e farinhas refinadas podem tornar o trabalho de parto mais demorado e doloroso.

Isso porque esses alimentos interferem na ação da prostaglandina, um hormônio importante para a preparação do colo do útero para a saída do bebê. 

Deixar a mala da maternidade pronta

Os últimos dias de gestação são ideais para deixar a mala da maternidade pronta e organizar as coisas do bebê. Assim, quando o trabalho de parto começar, você estará tranquila para focar no que é importante.

Preparar-se psicologicamente

Durante a gravidez, a mulher passa por todo tipo de emoções. Por isso, é importante desenvolver uma rede de apoio e contar com alguém durante o nascimento da criança. Também é essencial ter orientação médica e buscar informações sobre os melhores procedimentos para você e para o seu bebê.

Estar preparada para o trabalho de parto não significa não ter medo ou não se sentir insegura, e sim que você colabora para que a natureza se encarregue de trazer ao mundo seu bem mais precioso.

Se você quer saber mais sobre o assunto, aproveite para ler também o artigo sobre contrações na gravidez!

ATIVIDADES #MODOBRINCAR

Se divertir é

UAAAAAU!

Kaboom

Leia Mais

iupii

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *