7 brincadeiras para trabalhar as emoções

6 minutos para ler

Algumas esferas do desenvolvimento infantil podem ser acompanhadas com um piscar de olhos. Não é necessária muita investigação para identificar quando os bebês conquistaram a habilidade de sentar sozinhos, quando os pequenos deram seus primeiros passos, ou mesmo quando passaram pelo desfralde.

Mas existem outras partes cruciais do desenvolvimento de uma criança que não carregam tantas evidências físicas — mas são extremamente relevantes. Estamos falando das emoções. Elas aparecem das mais diversas formas. Em prolongados choros, em momentos de introspecção ou em intensas buscas por desafios.

Ensinar a uma criança o que é alegria, tristeza, frustração ou raiva não é tarefa simples. Por isso, existem maravilhosas brincadeiras para trabalhar emoções. Elas servem de apoio nesse momento de descoberta, favorecendo a conexão entre adultos e seus pequenos. Confira 7 delas a seguir!

Brincadeiras para trabalhar as emoções

Uma criança que consegue reconhecer, identificar e trabalhar com suas emoções terá maior consciência sobre o que desencadeia cada tipo de sensação.

Até mesmo para lidar com as temidas birras, que são parte do desenvolvimento dos pequenos, o conhecimento sobre o que está gerando tais sensações será um grande aliado daqueles que amam e cuidam de meninos e meninas.

Parte da inteligência emocional infantil pode ser trabalhada de forma lúdica, com auxílio de brinquedos e um toque de criatividade. Abaixo, compartilhamos algumas dicas.

1. Pote das emoções

Entre as brincadeiras que exploram habilidades socioemocionais, o pote das emoções faz muito sucesso! Para tal, você vai precisar de alguns potes transparentes (de vidro ou plástico), mas também pode utilizar sacos plásticos, se preferir.

Separe materiais como lã ou bolinhas, sempre na mesma quantidade, para preencher os recipientes. E nomeie cada um dos potes com uma das emoções: alegria, tristeza, medo, raiva, calma, frustração, vergonha.

Como parte do ritual diário, separe um momento para interagir com o pequeno, compartilhando casos do dia e pedindo que ele indique como se sentiu em cada uma das situações. Utilize a lã para que a criança preencha o recipiente e demonstre o impacto daquela emoção no dia.

2. Termômetro das emoções

Para levar as emoções para o dia a dia, o termômetro das emoções é uma ótima escolha! Trata-se de uma escala visual que demonstra, por meio de rostos desenhados, as expressões de raiva, medo, alegria e tristeza.

Convide a criança para interagir com o chamado emocionômetro, permitindo que ela demonstre como está se sentindo naquele momento. Conversar sobre as sensações, auxiliando na compreensão, pode beneficiar o desenvolvimento emocional infantil.

3. Mímica

Quando as palavras não são suficientes para a comunicação, e as imagens também não alcançam o objetivo esperado, os gestos entram em cena. Utilizar a mímica como forma de trabalhar as emoções é algo rico e divertido.

Na forma de mímica das emoções, podem ser feitas perguntas para as crianças, pedindo que elas reajam mostrando como se sentem em cada um dos momentos. Vale perguntar qual é a sensação quando recebem uma visita especial ou quando sonham com o lobo mau. A ideia é utilizar fatos do cotidiano para identificar e trabalhar as expressões de alegria, raiva, medo etc.

4. Desenhos

Os desenhos são ricas ferramentas para explorar as emoções. Graças ao aspecto lúdico da criatividade, a criança pode expressar aquilo que ela nem mesmo consegue comunicar em palavras.

Pedir que sejam feitos desenhos de lugares ou pessoas pode ser um ótimo convite para que os pequenos possam demonstrar o que pensam sobre determinadas situações. Compartilhar a atividade, desenhando lado a lado (cada um em seu papel), pode ser um incentivo a mais.

5. Fantoches e bonecos

Assim como as mímicas permitem uma comunicação muito rica na forma de gestos, os fantoches e os bonecos também são um caminho para a diversão. Utilizar os bichinhos prediletos da criança para falar sobre dificuldades ou conquistas é uma das ótimas brincadeiras para trabalhar as emoções.

Experimente compartilhar que o ursinho ficou triste porque passou por determinada situação e veja como a criança vai reagir. Entrar no mundo da imaginação é mágico e revelador.

6. Espelho da emoção

Como parte da educação voltada para as emoções, o uso do espelho surge como meio para que a criança reconheça suas expressões, no seu reflexo. Vale ir para a frente do espelho, convidando a criança a demonstrar como fica quando sente raiva, alegria, surpresa e nojo.

Como sempre, a interação ajuda os pequenos a identificar não apenas as diversas sensações, mas também como elas se refletem na sua autoimagem.

7. Copo das emoções

Separe dois copos de plástico, um deles branco e o outro transparente. Em um, desenhe olhares variados (feliz, assustado, cansado); no outro devem ser feitas ilustrações de boquinhas diversas.

Ao sobrepor os copos, emoções variadas vão surgir, enquanto os copos são girados. É nessa hora que a criança deve ser convidada a conversar sobre cada uma das emoções, sugerindo o que ela vê com cada uma daquelas expressões. Aqui, não existe certo ou errado; existe um caminho de aprendizado e comunicação.

A importância de trabalhar as emoções com as crianças desde pequenas

Os benefícios de incorporar brincadeiras para trabalhar as emoções no dia a dia das crianças são inúmeros! O que se sabe é que a inteligência emocional é importante em todos os momentos da vida.

A normalização das alterações de humor contribui para a redução dos níveis de ansiedade infantil — é essencial compreender que os momentos de tristeza e euforia são temporários, assim como aqueles de medo ou calma. E em todos os instantes há algo de bom acontecendo.

Construir um espaço seguro para que a criança expresse as suas emoções também permite uma maior confiança. Com isso, os pequenos sentem que podem compartilhar tudo o que estão passando (ou pensando), sem receio de críticas ou julgamentos.

Por isso, ensinar sobre as emoções é algo incrível para as crianças, mas também para os adultos que se beneficiam de crianças que se preparam para passar com mais tranquilidade pelos desafios que acompanham o crescimento.

Estudos apontam que existem 27 tipos de emoções. Mas para as crianças, iniciar com um leque reduzido é o melhor caminho. Como sugestão, comece pelas principais, como: alegria, tristeza, medo, tédio, raiva e calma.

Gostou de conhecer algumas brincadeiras para trabalhar as emoções das crianças? Siga-nos em nossas redes sociais para mais dicas. Estamos no Facebook, no Instagram e no YouTube!

Posts relacionados

Deixe um comentário