Guia completo de como montar uma brinquedoteca

12 minutos para ler

Muita gente acha que brincar é apenas um passatempo para crianças, uma maneira de entretenimento. Mas sabemos que não é bem assim que acontece! Brincadeira é coisa séria e deve ser incentivada. Isso porque elas estimulam (e muito!) o desenvolvimento infantil.

Pensando nisso, as brinquedotecas são mais que um espaço em que os pequenos se distraem. Na verdade, elas são um paraíso de aprendizado — com muita diversão, claro. Você tem interesse em montar uma, seja em casa ou como negócio, mas não sabe por onde começar?

Para ajudar nessa missão, trouxemos este guia completo sobre brinquedoteca. Aqui, você encontra tudo o que precisa saber para fazer um lugar incrível para a turminha brincar e aprender. Vamos lá?

Qual é a importância da brinquedoteca para o desenvolvimento infantil?

De que você brincava na infância? Futebol, pega-pega, bolinha de gude, casinha, carrinho de rolimã ou boneca? As lembranças que temos dessa fase são sempre ligadas à diversão. Mas você sabia que aprendeu muito com essas brincadeiras?

Por exemplo, ao jogar bola, a sua coordenação motora e o raciocínio foram estimulados. Afinal, para chutar o objeto e acertá-lo dentro do gol, é preciso trabalhar essas habilidades. Ao brincar de casinha, você imaginou o choro do bebê e o que poderia fazer para acalmá-lo — ou seja, trabalhou a sua empatia e compreendeu o papel dos cuidadores.

Agora, imagine ter um espaço apropriado e seguro para isso, em que a criança tem acesso livre aos mais diversos brinquedos e atividades. Isso significa que a brinquedoteca é o lugar ideal para desenvolver as competências dos pequenos!

Importância das brincadeiras

Brincar é algo tão importante que é previsto em lei. O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) reconhece esse direito justamente por contribuir para o crescimento físico, mental e social da criançada. É nesse momento que os pequenos têm ganhos cognitivos, psicológicos e didáticos.

Comportamento

No faz de conta, as experimentações dos papéis sociais, como os de pais, de bombeiro, de professores etc., fazem com que o pequeno compreenda o que é ser um adulto e se prepare para isso, embora faltem bons anos para chegar à idade adulta. Além disso, ele trabalha o seu comportamento perante a sociedade: o que é e o que não é aceito, como agir em relação às outras pessoas e assim por diante.

Resolução

A criatividade que a turminha utiliza na sua diversão aumenta a aptidão para resolver problemas. Quer um exemplo? Para ser um super-herói, o pequeno precisa de uma capa, mas não tem uma fantasia. Então, pega uma toalha e a amarra em volta do pescoço. Pronto, situação resolvida: agora ele é o Super-Homem e já pode salvar as pessoas por aí.

Coordenação motora

Os brinquedos de encaixe são ótimos exemplos de como os jogos desenvolvem a coordenação motora das crianças. Ao testar os vários tipos de formas para encaixar no buraco específico, o bebê está treinando as suas mãozinhas. Fora a memória que também é trabalhada, pois depois de conseguir o encaixe, ele entende qual é o formato correto para cada cavidade.

Origem da brinquedoteca

A ideia da primeira brinquedoteca surgiu há muito tempo, nos anos 1930, em uma loja de brinquedos. Por conta de furtos que estavam ocorrendo na época, resolveram criar um serviço de empréstimo de brinquedos. A partir daí, o conceito se espalhou.

No Brasil, a brinquedoteca foi trazida pela Associação de Pais e Filhos, a APAE. Primeiro, a ludoteca emprestava os objetos — mais tarde é que outras atividades foram inseridas.

Hoje em dia, podemos encontrar diversos espaços exclusivos para brincadeiras espalhados por aí. Desde o ambiente escolar, passando pelos centros médicos e de reabilitação até os condomínios e locais privados se renderam aos benefícios da brinquedoteca.

Função da brinquedoteca

Como vimos, a brinquedoteca tem como função estimular as capacidades mentais, sociais, físicas e emocionais da criança de maneira lúdica e divertida. Os brinquedos e jogos são voltados para trabalhar o raciocínio lógico, a imaginação e a coordenação motora dos pequenos.

Nas escolas, ela ensina de forma prazerosa, sem tornar a educação algo massante para a turminha. Nos hospitais, ela é fundamental para amenizar o sofrimento dos pequenos pacientes que se encontram ali internados. Já nos espaços públicos, é uma ótima oportunidade de socialização. Em casa, é um momento único de interação entre crianças e adultos da família.

O que diz a lei?

As vantagens das brinquedotecas são inquestionáveis. Tanto que esses ambientes são obrigatórios em hospitais e unidades de saúde que oferecem internação infantil. Além do direito de brincar, esses espaços promovem a saúde física e psicológica da criança e melhor adesão aos tratamentos médicos.

Embora sua intenção possa não ser montar uma brinquedoteca hospitalar, mas sim aberta ao público, a lei que fala sobre ela nos dá uma ideia sobre a importância do profissional que cuidará do local. A seguir, confira o que diz alguns parágrafos a respeito dos brinquedistas.

Necessidade de um brinquedista

Necessidade de um profissional que seja responsável pela gestão, organização e manutenção da Brinquedoteca extremamente especializada que é a Brinquedoteca Hospitalar, a fim de assegurar a continuidade e coerência de seu projeto ao longo do tempo.

O brinquedista é capacitado para organizar e atuar na brinquedoteca. É ele quem vai gerir o local, além de propor e mediar as atividades mais adequadas para cada fase da criança. Sendo assim, se você quer abrir uma brinquedoteca como um negócio, é imprescindível contar com esse profissional.

Características do brinquedista

Necessidade de especificação do perfil desse profissional, com base em requisitos de formação profissional e de características pessoais, uma vez que, para atuar junto às crianças e suas famílias, num ambiente onde predomina o brincar livre e espontâneo, ele deverá ter um bom equilíbrio emocional, ser comunicativo e acolhedor sem ser invasivo, ser atento ao que se passa a seu redor sem controlar e direcionar as pessoas, ser organizado e, principalmente, gostar de BRINCAR.

Esse é um ponto muito importante. Além dos conhecimentos científicos, é essencial que o brinquedista goste realmente de brincar. Sabemos que existem as pessoas escolhem a profissão por diversas razões, mas nem sempre uma delas é o apreço pelo que se faz.

Nesse caso, como o profissional trabalhará diretamente com o público infantil e seus familiares, ele deve saber lidar tanto com os pequenos quanto com os adultos. Dessa maneira, você garante a diversão e o aprendizado dos pequenos e que o empreendimento seja uma boa referência para os pais.

Por falar em lei, vale lembrar que todo estabelecimento precisa de um alvará de funcionamento. Além disso, é preciso registrar a sua empresa para que tudo seja legalizado. Procure um contador para o auxiliar e orientar em todo o processo.

O que é preciso para começar uma brinquedoteca?

Hoje em dia, os adultos estão cada vez mais ocupados e sem tempo para brincar com os pequenos. Por isso, as brinquedotecas têm feito muito sucesso. Um espaço seguro em que a ordem do dia é brincar ajuda os cuidadores a suprirem essa falta de entretenimento dos pequenos.

Além do mais, as pessoas já estão mais consciente de que brincar é importante para o desenvolvimento infantil, o que torna o ambiente uma ótima oportunidade de negócio. Independentemente se você quer montar uma brinquedoteca em casa, no condomínio ou em um estabelecimento, veja o que é necessário.

Local

A escolha onde ficará a brinquedoteca é muito importante, caso seja um empreendimento. O primeiro passo é fazer uma pesquisa de mercado para saber quais são os hábitos de consumo do seu público-alvo. Depois, verifique junto à prefeitura se é possível abrir o negócio no lugar escolhido. Shoppings e ruas que ficam próximas às escolas e às praças são ótimas localizações.

Se a ideia é montar uma brinquedoteca em casa ou no condomínio, certifique-se de que o ambiente seja adequado, tenha boa iluminação e não ofereça riscos às crianças, como escadas e janelas sem proteção.

Estrutura

A estrutura da brinquedoteca deve oferecer conforto e segurança aos pequenos. Para algo comercial, um espaço a partir de 45 m² já é o suficiente. O piso deve ser preferencialmente emborrachado, para evitar escorregões e machucados.

Já na decoração, opte por cores claras nas paredes e deixe que o colorido fique por conta de alguns móveis, quadros geométricos e brinquedos. Por falar em mobiliário, prefira ter poucos móveis para ter mais espaço para as brincadeiras, além de oferecer menos riscos para os pequenos.

Equipamento

Uma boa brinquedoteca comercial deve ser bem equipada. Assim, é possível oferecer uma diversidade de brincadeiras e atividades que encantam e divertem a turminha. A seguir, confira algumas sugestões:

Brinquedos

Os brinquedos são aprincipal atração de um brinquedoteca. Afinal, são eles que dão nome ao lugar, não é verdade? Sendo assim, é importante saber quais são os objetos mais adequados para cada faixa etária a fim de agradar a toda turminha.

De 0 a 2 anos

Nessa idade, os brinquedos devem ser direcionados para o estímulo sensorial. Objetos coloridos, que emitem sons e têm texturas diferentes são ótimos para trabalhar a visão, a audição e o tato. Os móbiles musicais atuam nas coordenações visual e motora.

De 2 a 3 anos

Entre os 2 e os 3 anos, os pequenos são mais curiosos e estão aprendendo a se comunicar verbalmente. Dessa maneira, os brinquedos devem ajudar a desenvolver essas capacidades. Livros de ilustrações, jogos de empilhar e encaixar, além dos blocos são os ideais.

A partir dos 3 anos

Depois dos 3 anos, a criatividade da turminha está a mil. Portanto, o ambiente deve estimular a imaginação e a fantasia. Casinha, mercadinho, bonecas e outros brinquedos que simulem a vida adulta são os preferidos. As fantasias, os quebra-cabeças e os livros também fazem parte desse universo lúdico de aprendizado.

Crianças maiores

Para as crianças maiores, as atividades que envolvem raciocínio e a “mão na massa” são as que chamam a atenção. Jogos de tabuleiro e eletrônicos, fabricação de slimes e brincadeiras mais agitadas, como a caça ao tesouro, são boas sugestões.

Organização

É interessante organizar o ambiente por tipos de brincadeiras. Dessa forma, fica bem mais fácil brincar e arrumar tudo depois. Algumas ideias de ordenação são:

Segurança

A segurança deve ser a principal preocupação quando montamos uma brinquedoteca. Afinal, crianças não medem o perigo e todo cuidado e pouco. Sendo assim, objetos pontiagudos e brinquedos quebrados devem ser retirados.

Além disso, fique atento à recomendação da faixa etária do brinquedo para que os pequenos não brinquem com itens não indicados para suas idades. Outro ponto é a qualidade dos produtos. Adquira somente brinquedos certificados pelo INMETRO.

O ambiente deve ser limpo frequentemente para prevenir as alergias e acidentes com insetos que possam aparecer.

As portas e portões devem ser trancados para evitar possíveis “fugas” dos baixinhos. Não se esqueça de ter monitores ou pessoas responsáveis supervisionando a turminha. Mesmo que a brinquedoteca seja em casa, nunca sabemos o que a turminha pode “aprontar”.

Conclusão

A brinquedoteca é muito mais que um espaço destinado à diversão. É também um ambiente de aprendizado e aquisição de habilidades. Tudo isso pelos simples fato de que as brincadeiras são importantes ferramentas para ensinar as crianças a aperfeiçoarem as suas capacidades.

Não é à toa que as brinquedotecas fazem cada vez mais sucesso e podem ser um ótimo negócio. Com uma rotina muitas vezes corrida, os cuidadores recorrem a elas para garantir que seus pequenos tenham momentos de lazer, de socialização e de ganhos de conhecimentos.

Engana-se quem pensa que brinquedoteca é um ambiente apenas comercial ou para o público. Dá para montar esse espaço em casa também, se tiver algum cantinho sobrando por aí. Prepare-o com alegria e capricho, coloque uma mesinha com cadeira, papéis, giz de cera, brinquedos e jogos educativos e chame a sua turminha para se divertir e aprender!

Posts relacionados

Deixe um comentário