Gentileza infantil: quais os desafios e como trabalhá-la nos pequenos?

6 MINUTOS DE LEITURA
444
Gentileza infantil|
Duas crianças sentadas no chão de um jardim

Que o nosso mundo precisa de melhorias nas relações humanas, não há dúvida, concorda? E qual a melhor forma de semear mudanças senão começando pelas crianças?Não dá para falar em gentileza infantil sem abordar a parentalidade consciente e o papel que os adultos que as cercam desempenham.

Todos nós devemos dar nossa contribuição para que as próximas gerações possam usufruir de relações interpessoais mais harmoniosas e menos egoístas. Mas, como fazer isso? Por que é tão importante que atitudes simples de gentileza sejam cultivadas? Você vai descobrir tudo nos tópicos a seguir. Vem com a gente!

Qual é a importância de criar crianças gentis?

Incentivar a gentileza infantil contribuirá para uma boa formação do caráter da criança, afinal, é muito mais fácil desenvolver esse tipo de atitude — que acaba se tornando um hábito — na infância, do que após adulta.

Ensinar aos pequenos sobre gentileza possibilita desenvolver a empatia para lidar com a diversidade, estimula o respeito e a capacidade de dialogar e, dessa forma, construir relações baseadas em cooperação e solidariedade. Não são essas características que gostaríamos de ver em muitos adultos do nosso convívio diário? Mas isso tem que ser ensinado desde cedo.

Quais são os desafios ao trabalhar a gentileza infantil?

Talvez, o primeiro e maior desafio de todos seja a coerência, portanto, praticar aquilo que pregamos. Nem sempre é fácilencontrar equilíbrio entre o que ensinamos e o que efetivamente fazemos. Por isso, é importante que as atitudes em torno da criança correspondam com os valores ensinados.

Também é essencial que o aprendizado da gentileza infantil aconteça de forma genuína, para não se tornar algo automático. Não é preciso “forçar a barra” em qualquer situação. O uso de frases simples e carinhosas como “você precisa de ajuda?” ou “você pode ajudar o seu colega?” são gatilhos sutis e eficientes para despertar interesse.

Como contribuir para que os pequenos sejam crianças gentis?

A melhor maneira de ensinar algo é pelo exemplo, e não seria diferente com a gentileza infantil. Pode não parecer, mas em qualquer uma das fases da criança, os pequenos estão sempre atentos a tudo, mesmo quando parecem distraídos. Por isso, nada melhor do que praticar o que se prega e assim reforçar os ensinamentos, certo?

Trate bem as pessoas

Você já deve ter ouvido em algum momento a expressão Regra de Ouro ou Regra Áurea da Convivência. Esse princípio moral tem suas origens em antigas escrituras indianas, com mais de 3.000 anos, e prega quedevemos tratar os outros da forma como gostaríamos de ser tratados.

Quando você mostra para a criança que interagir com o próximo demonstrando respeito — independentemente de classe social ou econômica — é a melhor maneira dela também ser respeitada, fica mais fácil ela reproduzir o comportamento naturalmente.

Ouça com atenção

Escutar e ouvir, são coisas distintas. Pode parecer estranha essa frase, não é? Mas, muitas vezes, escutamos alguém com o intuito de responder, e não necessariamente para compreender seus sentimentos ou exercer a empatia. Portanto, é preciso exercitar o ato de ouvir a criança com carinho e atenção.

Estimule a criançada a contar como foi o dia na escola, o final de semana ou sobre a sua brincadeira preferida. Além disso, mostre interesse com expressões motivadoras. Isso ajuda a estimular a sensibilidade da criança em ouvir sobre o problema do outro e fortalece a capacidade de criar relacionamentos.

Procure usar saudações e cumprimentos

As famosas palavrinhas mágicas: “obrigada”, “por favor”, “desculpe” e “com licença” são a base da construção da gentileza infantil. Mais do que exigir que ela que faça uso, procure você mesmo utilizá-las quando interagir com os pequenos e com outras pessoas.

Os cumprimentos também são muito importantes. Dizer “bom dia” ao se levantar, “boa noite” ao se deitar para dormir ou “boa tarde” quando chegar na escola, por exemplo. Elas representam mais do que uma mera formalidade, se acompanhadas de uma atitude “alto-astral”, e podem realmente expressar esse desejo. Estimule a criança a usá-los para funcionários, vizinhos, familiares e colegas.

Exercite o auxílio ao próximo

Pode ser uma visita a um lar para idosos, um centro de apoio aos mais necessitados ou abrigo para menores. Também é importante ensinar a separar roupas e brinquedos em bom estado, a fim de serem doados.

Além de estimular a prática da gentileza infantil, essas atitudes ajudam a despertar a sensibilidade aos problemas de outras pessoas e a entender que, às vezes, um pequeno gesto pode contribuir para melhorar a vida de alguém.

Incentive-a — e participe junto — a se envolver em atividades beneficentes com o único propósito de ajudar ao próximo, sem esperar por prêmios. Dessa forma, a recompensa será a satisfação de ver a alegria de quem está recebendo a auxílio.

Ofereça e peça ajuda

É importante oferecer ajuda por vezes, seja para a própria criança ou outras pessoas. Explicar que você notou que ela estava precisando de uma força para carregar a mochila da escola, por exemplo.

Da mesma forma, é importante pedir ajuda em tarefas que ela possa realizar ou incentivá-la a se oferecer para auxiliar um colega, vizinho ou parente. Assim, ela desenvolve a sensibilidade de perceber quando alguém precisa de uma gentileza.

Por que a gentileza infantil é importante para a criança?

Ao longo do texto foi possível entender como é benéfico aos pequenos mostrar atitudes gentis e estimulá-los a repetir esses gestos. Além de contribuir para a construção de uma sociedade mais altruísta e inclinada a ter empatia por seu semelhante, esses comportamentos contribuem para a formação da personalidade da criança.

O aprendizado da gentileza infantil é o início do desenvolvimento da capacidade de lidar melhor com os próprios sentimentos. É um processo longo e vai demorar alguns anos até que os reflexos desse investimento fiquem evidentes, mas vale a pena. Com consistência e persistência, eles virão.

Nós sabemos que pode ser difícil ajudar a molecada a compreender suas emoções, por isso, convidamos você a ler este artigo sobre inteligência emocional infantil e como desenvolvê-la.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no google

ATIVIDADES #MODOBRINCAR

Se divertir é

UAAAAAU!

iupii

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia Mais

Curiosidades dias das mães
785

Dia das Mães: curiosidades sobre a data e dicas para comemorá-la

Considerada uma das datas mais especiais do calendário, o Dia das Mães é a época do ano perfeita para reunir a família e celebrar a...
benefícios das atividades físicas para as crianças|benefícios das atividades físicas para as crianças
1503

10 benefícios das atividades físicas para crianças!

A prática de atividades físicas na infância é muito importante. Leia o nosso post agora mesmo e entenda os benefícios desse hábito!
pais com seus filhos abraçados comemorando o dia internacional da familia
0

Dia Internacional da Família: como curtir a data com as crianças

O Dia Internacional da Família é comemorado em 15 de maio e foi criado em uma Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em...
fases do desenvolvimento infantil: mãe oriental com seu filho sorrindo ao brincar
4950

Fases do desenvolvimento infantil: entenda e conheça melhor seu filho

Quer conhecer as fases da criança e conhecer ainda melhor seu filho? Então clique aqui agora mesmo e confira mais sobre o assunto!
Imagem de uma criança abraçando um cachorro
1821

Conheça 6 benefícios dos animais na educação infantil

Pensando em adotar um bichinho para as crianças? Veja por que essa é uma ótima ideia e quais os benefícios dessa decisão para o desenvolvimento infantil!
disputa entre beyblades em arena de batalha
0

Descubra o que é beyblade, como jogar e quais são os principais tipos

Se você é fã de mangás e animes, com certeza, já sabe o que é beyblade. Vindo diretamente do oriente, este brinquedo conquista gerações e...