Tudo o que você precisa saber para manter uma relação saudável entre as crianças e a tecnologia

11 minutos para ler

A geração nascida em 1990 foi a última antes dos chamados nativos digitais. Hoje, a molecada está totalmente integrada à tecnologia, que faz parte de diversos aspectos e momentos da vida. Por isso mesmo, impedir o uso desses recursos não é a solução.

Ao mesmo tempo, é preciso buscar uma relação saudável quanto ao uso de telas, como tablet, celular, computador e mesmo televisão. A chave está no equilíbrio, para que a turminha aproveite os pontos positivos do nosso mundo conectado.

Pensando nisso, preparamos um guia para que você consiga acertar nessa relação. Venha conferir!

Quais os prós e contras do uso de tecnologia?

A tecnologia pode auxiliar o crescimento e o desenvolvimento da turma, desde que seja usada do jeito certo. Para tanto, é preciso buscar meios de maximizar seus pontos negativos, driblando os desafios e os possíveis prejuízos.

Foi pensando nisso que preparamos um comparativo para que você não tenha mais dúvidas. Para começar, vamos ver o que a tecnologia tem a oferecer de positivo para a molecada!

Desenvolvimento de novas habilidades

Ao contrário do que você pode imaginar, o uso de telas pode, sim, ser útil para que a molecadinha desenvolva e fortaleça novas habilidades. Dependendo da atividade realizada em tablets, celulares ou computadores, uma criança pode desenvolver melhor coordenação motora. Basta pensar nos controles de videogames e como eles exigem certa habilidade, não é?

Também é possível fortalecer habilidades de comunicação, escrita e leitura. Principalmente com o uso de recursos interativos e educacionais, esses pontos são trabalhados de forma positiva para a turminha.

Garantia de entretenimento e diversão

Também não podemos negar que o uso da tecnologia tem tudo a ver com diversão e entretenimento, não é? Um joguinho de celular pode distrair a garotada por longos períodos, ainda mais se tiver diversas fases e desafios.

A tecnologia traz, portanto, uma nova forma de brincar, inclusive em família. Assim, é possível complementar as atividades tradicionais e os brinquedos, tornando-os ainda mais divertidos.

Aumento da motivação para o aprendizado

O principal benefício da relação entre tecnologia e crianças tem a ver com o processo de aprendizado. Com o uso desses recursos, o ensino se torna mais dinâmico e desperta o interesse da turma. Em vez do modelo tradicional da sala de aula, é possível incorporar recursos multimídia, jogos educativos e muito mais.

Com o uso adequado de telas, é possível aprender brincando e com mais motivação. Inclusive, o desempenho escolar e o desenvolvimento de conhecimentos podem ser favorecidos.

Só que também é preciso pensar nos pontos que não são assim tão legais. O uso de tecnologia exige atenção, justamente porque apresenta algumas desvantagens que não podem ser ignoradas. Então, veja quais são os principais prejuízos do contato entre a molecada e as telas.

Aumento do risco de sedentarismo

Um dos principais problemas do uso de tecnologia é que você pode se conectar e se divertir de modo extremamente confortável. Isso é prejudicial porque significa que as crianças ficam cada vez mais tempo jogadas no sofá, sentadas em uma cadeira gamer ou dentro dos quartos. Então, há um desestímulo à prática de atividade física, que pode levar ao sedentarismo.

Diante dessa situação, até a saúde é prejudicada, porque aumentam os riscos de obesidade infantil no futuro. A solução, então, é priorizar tecnologias e recursos que estimulem o movimento do corpo ou que possam ser aproveitadas fora de casa.

Redução dos contatos sociais físicos

Por um lado, a tecnologia permite que a criançada se conecte com os amigos e interaja mais entre eles. No entanto, também pode afetar a socialização e a criação de conexões físicas com outras crianças.

É o que ocorre quando uma turma prefere jogar online, mas deixa de se encontrar para brincar de verdade. Ou quando uma criança prioriza os contatos virtuais ao mundo real. Dependendo do cenário, isso pode gerar até um quadro de isolamento social — e isso não é bom, né?

Excesso de estímulos e de informação

Por um lado, a tecnologia e a internet são benéficas porque trazem todo tipo de recurso e de informação, de forma dinâmica e em tempo real. Porém, isso também pode ser um ponto negativo, especialmente entre as crianças. Afinal, passa a haver um excesso de estímulos e um exagero de informação.

Entre a turminha, que ainda está se desenvolvendo e aprendendo a “filtrar”, isso pode gerar problemas de atenção e dificuldades de concentração. Por isso, é preciso ter cuidado com o tempo e a qualidade de uso da tecnologia.

Como equilibrar e ter uma vida saudável?

Já que a tecnologia traz vantagens para a criançada, o essencial é saber como usá-la a favor do desenvolvimento infantil. Como os maiores problemas ocorrem pelo excesso, é preciso apostar em uma boa dose de equilíbrio.

Sabe o que isso significa? Que, sim, é possível ter uma vida saudável, com tempo de tela e uso da tecnologia na infância. Quer descobrir como fazer? Veja as nossas dicas!

Defina limites de tempo para o uso

Uma das dicas mais importantes para realmente equilibrar essa relação consiste em determinar limites quanto ao tempo de uso da tecnologia. Sem isso, é provável que as crianças passem a maior parte do dia em frente a uma tela, o que não é positivo ou desejável.

Vale a pena combinar em quais horários é possível usar a tecnologia, como depois do banho, enquanto o jantar fica pronto. Ou um momento de família, em que todos vão assistir ou jogar algo juntos.

Também é preciso estabelecer horários e atividades totalmente livres de tecnologia. As refeições, por exemplo, podem ser feitas com a TV desligada e os celulares longe.

Priorize a qualidade do tempo de tela

Para aproveitar todos os benefícios que a tecnologia pode trazer, é essencial buscar meios de otimizar o tempo junto às telas. Para isso, a recomendação é focar em experiências ativas e não apenas passivas. Quer ver?

Em vez de deixar a molecadinha assistindo a vídeos no YouTube o tempo inteiro, vale estimular o uso de jogos interativos e educacionais. Com isso, a criançada vai ter que botar a cabeça para funcionar e será desafiada de diversas formas.

Saiba o que a turminha está acessando

Uma das preocupações quanto ao uso de tecnologia envolve a segurança, já que pessoas mal intencionadas podem aproveitar o ambiente online, por exemplo. Além disso, há questões como conteúdos sensíveis e inapropriados para certas idades. Como resolver? Com controle sobre o que a garota acessa.

É possível definir recursos de controle parental, em que você cria senhas e bloqueia certos conteúdos, por exemplo. Também é interessante estar sempre por perto e verificar o que a criança tem feito na tela. Aproveite para iniciar um diálogo e mostrar o comportamento certo.

Envolva-se com as atividades conectadas

Já pensou sair da função apenas de controle e interagir com a turminha mediante o uso da tecnologia? Pois é, isso é possível e muito vantajoso para o equilíbrio, sabia? Afinal, é uma forma de criar um momento em família diferente e até de aproximar a relação.

Para isso, você deve se envolver com as atividades conectadas. Assista aos desenhos ou mesmo comece a jogar certas opções. Você poderá debater com a molecada e, ao demonstrar interesse, poderá se aproximar da criançada!

Dê um bom exemplo

Todas essas dicas são importantes, mas não serão suficientes se você estiver sempre com o celular na mão ou diante de uma televisão. Afinal, isso vai transmitir uma mensagem à criançada, que vai querer fazer igual. Portanto, o ideal é dar um bom exemplo com o uso equilibrado de tecnologia.

Não leve o celular para a mesa e só atenda durante o tempo em família se for realmente necessário. Esteja presente para a turminha quando for o momento de vocês e ajude a criar esses bons hábitos. Assim, você tem a certeza de que a molecada terá a visão certa sobre a tecnologia.

Traga outras opções de diversão

Já que a intenção é estabelecer equilíbrio no uso das telas, é essencial buscar outras possibilidades de diversão e aprendizado. Ao mostrar que há várias alternativas para curtir o dia a dia, a relação tende a se tornar mais saudável.

Então, vale a pena pensar em brincadeiras para fazer em casa, chamar os amiguinhos para curtir em casa ou oferecer brinquedos com diferentes propostas. Assim, a rotina é sempre divertida, mas sem depender apenas das telas.

Qual a importância do controle dos adultos?

Como dissemos, o controle dos pais, responsáveis e adultos em geral é indispensável para um uso adequado e equilibrado da tecnologia pelas crianças. Além disso, ele é capaz de gerar muitos benefícios para a turminha e melhora a experiência com as diversas telas.

A seguir, vamos mostrar por que esse controle é tão importante e como ele beneficia a molecada. Confira!

Prevenção contra conteúdos inadequados

Tanto a TV quanto a internet têm conteúdos para todas as idades e para os diferentes estilos. O problema é que o acesso de uma criança a esse tipo de informação pode ser prejudicial. Uma história de terror, por exemplo, pode dar origem a várias noites sem dormir. 

Então, o controle de acesso serve para criar uma barreira contra conteúdos sensíveis e inadequados. A molecada só acessa o que realmente é indicado para a idade e que é interessante.

Inclusive, é uma forma de evitar aqueles desafios que surgem do nada e que são tão perigosos, sabia?

Proteção contra o cyberbullying

O ambiente online também pode ser marcado por situações nada agradáveis. É o que acontece quando a molecadinha se depara com ofensas e ameaças online — é o chamado cyberbullying. Assim como o bullying presencial, ele pode causar medo, insegurança e gerar outras sensações que não são tão legais.

Com a ajuda dos adultos, há menos riscos de a turminha encarar esse tipo de bullying. Isso é essencial para a proteção da molecada e mesmo para ensinar como proceder em situações do tipo.

Garantia de privacidade de informações

Principalmente no ambiente online, é muito fácil expor mais que o desejado. Se isso já é prejudicial para adultos, para as crianças é ainda pior. Por isso, o acompanhamento e o controle são tão importantes.

Com a sua orientação, há menos riscos de a turma compartilhar informações sensíveis, como a escola ou os horários. Também há menos riscos de pessoas mal-intencionadas se aproximarem. Assim, a privacidade e a segurança são garantidas.

Melhoria e aproximação do relacionamento

Com o controle adequado sobre a tecnologia, em busca do equilíbrio e da segurança, também é possível se aproximar da turminha. Por causa desse acompanhamento, o relacionamento é fortalecido e a ligação entre vocês se torna ainda mais intensa.

Afinal, mais que estabelecer regras, há espaço para debater, conversar, tirar dúvidas, ensinar e aprender. Esse é um ótimo jeito de participar da vida e dos interesses da molecada, o que se reflete em uma relação ainda melhor.

Inclusive, isso pode colocá-lo em uma posição de ainda mais confiança por parte da turma. Com o diálogo aberto, as crianças sabem que podem procurar a sua ajuda sempre que precisarem — mesmo que não tenha a ver com a tecnologia.

Mais diversão no dia a dia

Como dissemos, a tecnologia é útil para garantir o entretenimento da turminha, na forma de jogos, desenhos e outros conteúdos. No entanto, isso é potencializado graças ao controle dos adultos.

Com a sua atuação, é possível selecionar o que realmente faz parte do interesse da molecada, além de apresentar alternativas que você acredita que todos possam gostar. Longe de conteúdos violentos ou ameaçadores, a diversão é completa e acontece o tempo inteiro. Assim, o cotidiano se torna muito mais alegre e repleto de experiências positivas.

Conclusão

O uso da tecnologia na infância pode ser positivo, desde que seja equilibrado. É preciso explorar os recursos do jeito certo, em busca de aprendizado, desenvolvimento e diversão.

Para isso, o seu controle é essencial. Com o acompanhamento, você consegue orientar a turminha a curtir o que esses recursos têm de melhor e a experiência passa a ser muito mais positiva.

Posts relacionados

Deixe um comentário