Nitrato de prata nos olhos do recém-nascido: para que serve?

3 MINUTOS DE LEITURA
1975
Imagem de uma mão pingando nitrato de prata no olho de uma criança recém-nascida.

O período de gestação é cheio de surpresas, alegrias e algumas incertezas. O momento do parto costuma ser uma das maiores preocupações entre as gestantes, não tanto por elas, mas principalmente pelo bebê. E onde entra o nitrato de prata nessa história? Para que serve?

É sobre essa substância que vamos falar neste artigo. Descubra por que o uso em recém-nascidos é obrigatório, como isso afeta o bebê e o que você pode fazer. Ótima leitura!

O que é nitrato de prata?

O nitrato de prata é um composto químico usado em uma solução a 1% em forma de colírio, com propriedades antissépticas. A aplicação dessa substância nos olhos dos recém-nascidos se tornou obrigatória no Brasil em 1977, por causa de um surto de cegueira em bebês que ocorreu na época.

Para que serve o nitrato de prata?

Por causa de suas propriedades bactericidas, ele começou a ser utilizado para prevenir a conjuntivite neonatal séptica, ainda no século XIX — por volta de 1880 — na Europa. A causa da doença está relacionada ao contato da criança com as bactérias da gonorreia e da clamídia que podem estar presentes na vagina, durante o parto natural.

O que é a conjuntivite neonatal séptica?

A doença pode aparecer até um mês após o nascimento, contudo, o mais comum é que ela se manifeste ainda na primeira semana de vida. O sistema imunológico do bebê é muito frágil, por isso, qualquer infecção causada nos olhos por vírus ou bactérias pode ser muito grave e evoluir para a cegueira.

Entre os principais sintomas que podem indicar uma doença em curso estão o inchaço nas pálpebras, olhos vermelhos e irritados, secreção com presença de pus e dificuldade para abrir os olhos.

Quais são os riscos no uso dessa substância?

Qualquer tipo de medicamento pode ter efeitos adversos indesejáveis. A aplicação do colírio de nitrato de prata pode causar desconforto e irritação momentânea no bebê ou até a chamada conjuntivite química, que se caracteriza pela presença de secreção e vermelhidão nos olhos. Ela pode durar alguns dias, mas não compromete a saúde física da criança.

Como decidir se será feita a aplicação do nitrato de prata no recém-nascido?

Apesar de a aplicação ser determinada por lei, algumas vertentes que defendem o parto humanizado consideram essa ação invasiva e desnecessária, podendo prejudicar o primeiro vínculo entre pais e filhos.

A alegação prevalece em caso de cesárea ou diante de exames pré-natais que comprovem que a mulher está livre dessas bactérias. Por isso, hoje em dia, a mãe tem o direito de recusar o uso da substância, desde que assine um termo de responsabilidade fornecido pelo hospital.

A melhor maneira de entender os riscos e os benefícios do procedimento é conversando com o seu obstetra e um pediatra de confiança, que poderão ajudar na decisão. Somente um profissional preparado poderá fornecer todas as informações necessárias para que tenham tranquilidade.

Permitir ou não o uso do nitrato de prata é uma questão bastante pessoal e deve estar de acordo com o que a gestante entende como o melhor para o seu bebê, sempre respaldada por orientação médica, combinado?

Já que estamos falando da saúde da criança, aproveite para ler sobre o sono do bebê!

Leia Mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *